Artistas locais aderem campanha “Doe Sangue”

Palácio da Cultura, voltado para as manifestações artísticas da cidade, abriu as portas para a conscientização na manhã desta segunda-feira (04) com a presença de artistas e autoridades municipais. A Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e Fundação Municipal de Saúde, reuniram os artistas locais de Campos para a campanha “Doe Sangue” que tem mobilizado a população para esse ato de amor.

O cantor Dom Américo participou da ação e falou da importância do evento. “Vamos animar o Carnaval da região, mas  hoje estamos fazendo a nossa parte em doar sangue, pois é um gesto de carinho, por isso, todos devem fazer o mesmo. Doe Sangue, pois doar não dói”, completa. Também participaram integrantes das bandas Sedução, Bambalada, Ex-Energia, Encaixe Perfeito, Atração Popular, Obsessão, Preciosidade, Forró Didoido, Catukaí, Promessa do Samba, Só Aventura, além dos cantores Nelson Príncipe Negro, Gil Paixão, Valci Panela de Barro, Neiva Brasil, Carlos Gardel, Baiano do Forró, Serginho Pagodinho entre outros.

–  Quero agradecer a presença de todos os artistas locais que atenderam ao nosso chamamento, pois estão sendo generosos em participar deste gesto pela vida. Estamos mobilizados nessa ação, assim como as pratas da casa, os artistas nacionais que participam da programação do Verão da Família estão deixando sua mensagem para que as pessoas possam aderir a essa campanha. As praias da região vão estar movimentadas e, ainda, temos a BR-101 que tem grandes índices de acidentes nessa temporada, por isso, o estoque deve estar abastecido. Claro que a prudência deve prevalecer – destaca a presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Patrícia Cordeiro.

“O Hemocentro tem que abastecer 19 municípios da região, tendo como alvo cerca de um milhão de pessoas. No início do ano, ocorre uma diminuição significativa no número de doadores. Precisamos mudar a cultura de doar sangue, somente, em caso de acidentes com nossos familiares. Frisamos que a doação de sangue equivale a um transplante. Ela salva vida e faz bem aos doadores. Campos é referência na questões relacionadas a cirurgias de alta complexidade, por isso, a demanda aumenta”, falou o secretário municipal de Saúde, Geraldo Venâncio.

A assistente social Maria Gonçalves explicou que o banco de sangue está pronto para receber os doadores. “Temos uma estrutura para receber as pessoas que forem ao Hemocentro, doar não custa nada. Os interessados podem comparecer ao Hospital Ferreira Machado, das 7h ás 18h, portando documento de identidade com foto”, completa.

“Doar é um ato de cidadania, o Hemocentro precisa de 7º doadores por dia, somos referencia em trauma por isso a ajuda da população e a divulgação desta campanha será fundamental”, disse o superintendente do Hospital Ferreira Machado, Ricardo Madeira. A chefe de Gabinete da Prefeita, Patrícia Monteiro e o vereador José Carlos prestigiaram o evento.

Anúncios

Campista Dionatan Barroso vence circuito de bodyboarding

A União dos Bodyboarders de Campos e São João da Barra (UBCS), com apoio da Fundação Municipal de Esportes (FME) e supervisão da Federação de Bodyboarding do Rio de Janeiro (Febbrj), realizou neste final de semana no Pico da Antena da praia do Farol de São Tomé, a 2ª Etapa do Circuito Regional UBCS de Bodyboarding Profissional.

O grande vencedor da competição foi Dionatan Barroso, de Campos. Ailton Neto, também de Campos, que é bi campeão brasileiro, vice campeão estadual e campeão do Circuito Regional UBCS , deixou de ser  amador e competiu pela primeira vez como atleta profissional, conseguindo a  5ª colocação.

Confiram o resultado completo:

Categoria Profissional:
1- Dionatan Barroso – Campos
2- Bruno Invyk – Campos
3- Francirley Ferreira – Rio da Janeiro
3- Bruno Araújo – Rio das Ostras
5- Ailton Neto – Campos
5- Adriano Minguta – Rio das Ostras

Open masculino
1- Lucas Viana – Campos
2- Lucio Santana – São João da Barra
3- Adejaldo Silva – São João da Barra
4- Matheus Bastos – Rio de Janeiro

Open Feminino
1- Luisa Sardinha
2- Jeniara Alves- Campos
3- Yumi Vasconcelos – Rio das Ostras
4- Leila  Cozendey – Rio das Ostras

Sub 16
1- Filipe Souza – Macaé
2- Miguel Medina – Rio das Ostras
3- Gabriel Vinícius – São João da Barra
4- Wesley Souza – Campos

Sub 15
1- Marley Nunes – ES
2- Fabio Barreto – Campos
3- Tadeu Bastos – Campos
4- Francisco de Assis – Campos

RANKING APÓS AS DUAS ETAPAS:

Profissional Masculino
1- Dionatan Barroso – 1.913 pts
2- Israel Eduardo – 1.805 pts
3-  Bruno Invyk – 1.485 pts
4- Francirley Ferreira – 1.293 pts
5- Adriano Minguta – 1.173 pts

 Open Masculino
1- Lucio Santana – 1.773 pts
2- Jonas Silva – 1.750 pts
3- Lucas Viana – 1.516 pts
4- Adejaldo Silva – 1.493 pts

Master do Flamengo empata em 4 a 4 com a Seleção Campista

A praia do Farol de São Tomé foi tomada neste sábado (02) por uma legião de rubro-negros, que foram até a Arena Esportiva acompanhar o jogo de beach soccer do Master do Flamengo contra a Seleção Campista. Centenas de torcedores do clube mais querido do Brasil tiveram a oportunidade de ver de perto ídolos eternos que marcaram época no Flamengo. Entre os jogadores, craques do porte de Adílio que, mesmo na areia, mostrou muita habilidade, dando vários dribles. O artilheiro das decisões, Nunes, mostrou seu faro de gol e deixou sua marca. Outros jogadores menos conhecidos também marcaram presença, como o lateral-esquerdo campeão brasileiro de 1992, o campista Piá; e Delacir, que jogou no Americano.

Pela equipe de Campos, jogaram Margarida, autor de dois tentos; Medina, irmão de Flávio Medina, que jogou no Botafogo; o vice-presidente da Fundação Municipal de Esportes, Junior Oliveira; e o fotógrafo Check; entre outros boleiros. O goleiro do Fla-Master foi Adriano, que agarrou no Goytacaz. Júlio César “Uli Gueller”, que revelou ter familiares em Morro do Côco, também participou da partida, que terminou com o empate em 4 a 4, gols de Bené, Margarida, Medina e Alex para a Seleção Campista; e Renato Carioca (2), Piá e Nunes para o Flamengo. O evento, que fez parte do Verão da Família 2013 da Prefeitura de Campos, foi realizado pela Fundação Municipal de Esportes, com apoio da Guarda Civil Municipal e da Secretaria Municipal de Saúde.

Um dos mais assediados pelos torcedores, o craque Adílio, considerou a partida muito boa. “Foi ótimo”, se limitou a dizer ele, que fez questão de comentar sobre a sua alegria pelo reconhecimento dos fãs. “A minha maior felicidade é este reconhecimento”, afirmou Adílio.

O artilheiro Nunes, que foi ídolo do presidente da FME, Pampa, no início de carreira no Santa Cruz, disse que a Fundação de Esportes de Campos está entregue em boas mãos. “Pampa é uma pessoa respeitada. Campeão olímpico. Conhece das necessidades do atleta. Que ele seja feliz e consiga colocar tudo em prática”, disse Nunes.

Pampa que, além de tricolor em Recife, é tricolor em São Paulo, contou que quando morou em Brasília torceu pelo Flamengo por causa de Nunes. Ele ressaltou que a nação rubro-negra é muito grande. “O Flamengo tem a maior torcida do Brasil e sendo master ou não é Flamengo. Sempre vai levar público. O evento foi um grande sucesso mais uma vez. E queremos que ele seja a cada ano melhor. Vamos realizar novos eventos envolvendo grandes clubes nacionais e grandes ídolos do passado e do presente”, afirmou o presidente da FME.

O vice-presidente da FME, Junior Oliveira, adiantou que, para 2014, está sendo planejado um jogo do master do Flamengo no campo de Santo Amaro durante os festejos do padroeiro da Baixada Campista.

Viver vale a pena!

Odilon Medeiros*

 

As vezes precisamos ser submetidos a grandes provas, muitas vezes por demais dolorosas, para sabermos que existe algo maior que nos une como irmãos. Nestes momentos, esquecemos nossos dogmas religiosos, nossa comodidade, a distancia física e qualquer outro empecilho para demonstramos o nosso cuidado com o outro. Algumas vezes colocamos em risco até mesmo a nossa integridade física, até mesmo a nossa própria vida. Isso prova que o ser humano não perdeu totalmente a sua essência, que é ser bom.

 

A imprensa, através dos mais diversos meios, entra na nossa casa e apresenta exemplos e mais exemplos do que estamos falando. O que talvez esteja nos faltando seja um olhar mais aprofundado para uma ação tão nobre. Focamos no acontecimento em si e esquecemos de dar o devido destaque às ações dos anônimos que agiram em prol de pessoas, que muitas vezes, nunca chegaram a sequer cumprimenta-los.

 

No final do parágrafo anterior citei as ações e é sobre elas que preciso voltar a falar.  Em situações extremas, a nossa ação pode ser apenas de se indignar, de se chocar ficando emocionalmente abalado, de reclamar para um membro da família ou para um amigo sobre omissão das autoridades e alguns dias depois praticar a ação do esquecimento, discutir sobre a ganância, sobre a falta de escrúpulos de alguns empresários, sobre a irresponsabilidade e sobre a inconsequência… Ou simplesmente não fazer nada.

 

Por outro lado, podemos agir de verdade, levar um pouco de consolo, de afeto, de qualquer coisa que possa ser utilizado para minimizar o sofrimento do outro. E foi isso que várias pessoas fizeram. Elas agiram, na maioria das vezes de forma voluntária, para dar o mínimo de conforto às pessoas que foram afetadas numa recente tragédia que afetou não o Brasil, mas o todo o mundo devido às suas dimensões e consequências.

 

Foram fortes o suficiente para enfrentarem as condições que encontram, buscaram as forças que talvez desconhecessem que tivessem, superaram limites. Tentaram vencer obstáculos. Nem sempre conseguiram, mas não se deixaram abater.

 

Foram várias as formas de demonstração de solidariedade: ouvindo, falando, cuidando… dos outros e esquecendo de si mesmo. Sem distinção de raça, sexo, credo. Tudo em uma clara representação física do amor, da personificação do amor, como diz um dos meus mestres…

 

Se a dor dos envolvidos nesta triste história, com a participação destas pessoas foi grande, sem sombras de dúvidas, sem elas teria sido muito mais intensa.

 

Pessoas especiais: Obrigado por vocês existirem! O mundo fica melhor porque vocês fazem parte dele.

 

As pessoas das quais falamos até gora, deram exemplos de altruísmo, de comportamento humano, de cidadania e de amor ao próximo. E por essa razão que eu afirmo: Viver vale a pena. Vocês deram provas disso!

 

Esse artigo é dedicado a todas as pessoas que de uma forma ou de outra estiveram envolvidas com a tragédia de Santa Maria.

 

 

(*) Odilon Medeiros – Consultor em gestão de pessoas, palestrante, professor universitário, mestre em Administração, especialista em Psicologia Organizacional, pós-graduado em Gestão de Equipes, MBA em vendas Contato: om@odilonmedeiros.com.br / www.odilonmedeiros.com.br