Câmara pode ouvir presidente do Americano sobre a venda de estádio

Postado em

O vereador Abdu Neme (PR) solicitou a criação a uma comissão para discutir a situação do Clube

estádio-do-americano-1

  Estádio do americano 1º crise que atravessa o Americano chegou à Câmara de Vereadores de Campos. Na última sessão do Legislativo, o vereador Abdu Neme (PR), torcedor alvinegro, pediu ao presidente do Legislativo, Edson Batista (PTB), para que crie uma comissão a fim de discutir a situação da agremiação e convide o presidente do clube, César Gama, para vir à Casa explicar a atual situação do clube, que se encontra ameaçado de se desfazer do complexo esportivo e social no Parque Tamandaré para pagar dívidas.

“Eu me encontro estarrecido com o que tem ocorrido no Americano. Agora, sabe-se que o clube teria uma dívida de R$ 1,2 milhão com o atual presidente (César Gama). Por mim, tudo farei para impedir que negociem o patrimônio do clube, que foi construído por gente que deu a vida pelo clube. Que construiu aquele patrimônio catando um saco de cimento ali e outro aqui com muito sacrifício. E quem não construiu não tem o direito de destruir”, afirmou. “O Americano já deu grandes jogadores aos maiores clubes do País e à seleção brasileira. Nossos clubes são muito representativos de nossa cidade e representam um patrimônio não apenas de seus torcedores e associados, mas de toda Campos”, completou.

O presidente Edson Batista sugeriu a formação de um grupo de trabalho formado pelo próprio Abdu, mais os vereadores Neném (PTB) e Nildo Cardoso (PMDB), que já foi diretor de futebol do Goytacaz. “Hoje, a situação dos clubes de Campos é pior do que na minha época de dirigente. Atualmente, há times que empresários como donos e que trabalham com a formação de jogadores e só tem essa preocupação. Tanto que disputou este ano a Copa Cidade de São Paulo. Aqui, a cada ano os clubes são pressionados pelos torcedores e acabam pressionados a contratar quase um time inteiro a cada ano”, comentou.

Neném, que já foi vice-presidente da Fundação Municipal dos Esportes, se comprometeu a incluir o futebol profissional e convidar os dirigentes dos clubes a participar do ciclo de debates no próximo dia 11, na Câmara, tendo o esporte como tema. “Os dirigentes do futebol campista precisam repensar a atual realidade. O Rio Branco já anunciou que não irá disputar a Série B, e cairá para a terceira divisão. Será este o caminho dos outros dois clubes. A verdade é que em Campos não há condições de se manter três clubes de futebol profissional. Por que não se unirem os três formando um só time para representar a cidade?”, sugeriu.