FILMES DA VIDA

Postado em

  Filme de hoje: “Amor por contrato”

filmes

Vira e mexe alguém deixa escapulir um “como o mundo mudou”. As ruas estão diferentes, a tecnologia deslanchou, a medicina está avançada, o orkut entrou em coma e o facebook invadiu o mundo com direito a filme biográfico e prêmios no Oscar. “Na minha época é que se vivia bem.” “Na minha época não havia nada disso.” Ainda assim, os pequenos detalhes passam despercebidos. Hoje em dia, o marketing não é mais o mesmo.

Diariamente somos bombardeados com mensagens subliminares que nos levam a acreditar que precisamos de itens totalmente desconexos da nossa real necessidade. Não satisfeitos em comprar aquilo que não precisamos, compramos aquilo que não podemos pagar.  O pobre coitado do trocador do ônibus pode ficar sem dinheiro pra jantar um cachorro quente no podrão da esquina; mas tem um tablet última geração igual ao do galã ricaço da novela das 9.

Não basta ter um telefone multifuncional, tem que ser da marca apple, modelo iphone 5 e na cor branca. O problema é que enquanto você ainda estiver pagando a sétima das doze parcelas acordadas com a sua operadora, o mercado já terá disponibilizado o modelo iphone 5KYZ3060. E o que será de você então? Um ser obsoleto, sem direito ao rótulo de cool. Como fará pra ser feliz? O que poderá exibir para que seus amigos exclamem admiração? Como vai se encaixar no perfil padronizado desse mundo de consumo exarcebado? “Ser ou não ser” sucumbiu à pressão e cedeu lugar para a nova questão intrínseca do homem moderno – ter ou não ser, eis a questão.

Hollywood colocou essa conjuntura em cena através de um drama com ar de comédia. Demi Moore – que certamente foi banhada no formol em sua bacia de batismo – esbanjou talento como protagonista do longa “Amor por Contrato”. Demi interpreta Kate, esposa de Steve e mãe dos fabulosos Mick e Jenn. Uma família perfeita e invejada por toda a vizinhaça. Todos querem comer o que os Joneses comem nos jantares formidáveis que oferecem. Querem o mesmo Nike que Kate usa para correr e manter sua silhueta enxuta. Querem o mesmo taco de golfe de Steve. O mesmo computador potente de Mick ou a mesma caneta que Jenn usa para sua exuberante caligrafia.

Uma família perfeita inserida em um mercado de luxo com potencial. O que os vizinhos não sabem é que os Joneses estão longe de ser uma família de verdade. São apenas personagens de uma nova estratégia de marketing. Eles vendem apenas imagens, produtos. A definição de conceito e felicidade dispensa vocábulos de ordem puramente materiais.

Surge um flashback de um famoso comercial da década de 90. Que criança dessa geração não chorou pra mãe comprar a tesourinha do Mickey e ficava cantando “eu tenho, você não tem” pelos corredores do colégio?

Só sei que nada tenho e tudo sou.

 

Ficha técnica:

Título original: The Joneses

Ano: 2009

País: EUA

Direção: Derrick Borte

IMG_7515
  Por Juliana Lopes