512, 479, 477, 336, 178?

Postado em

No dia 28 de Março próximo comemora-se o centésimo septuagésimo oitavo aniversário da elevação à categoria de Cidade da então Vila de São Salvador dos Campos. No entanto, discute-se, constantemente, a data festiva que o povo campista deve celebrar como iniciadora da História regional.
Diversos estudiosos da Cidade defendem outros acontecimentos respaldados pela História Positivista ao inicio da História dos Campos dos Goytacazes.
O primeiro fato se dá em 21 de Dezembro de 1501. Uma expedição marítima de reconhecimento litorâneo do recente território dominado por Portugal nomeia, ao passar pela atual Praia do Farol de São Tomé, em homenagem ao santo do dia, o lugar por Cabo de São Thomé.

Posteriormente, o Alvará de lembrança, datado de 10 de Março de 1534 é defendido, por alguns, como ponto inicial da História local. No documento, Dom João III menciona a futura doação de uma Capitania – Capitania de São Thomé – a Pero de Góis – Goes – da Silveira, fidalgo português que auxiliou Martim Afonso de Sousa no processo de edificação da Vila de São Vicente, atual região litorânea do Estado de São Paulo.

Outro momento se dá em 28 de Janeiro de 1536, quando a Carta de Doação da Capitania de São Thomé é redigida e oficializa a posse de 30 léguas ao Donatário Pero de Góis.

No século seguinte, seguindo imposição da Coroa Portuguesa à concessão da posse do território, o período denominado Domínio dos Asseca cria, em 29 de Maio de 1677, a Villa de São Salvador dos Campos que, em 28 de Março de 1835, por conta do processo de reorganização da Província do Rio de janeiro e relevância econômica regional, é elevada à categoria de Cidade de Campos.

Assim, evidenciamos acontecimentos históricos que permitem intensos debates em torno da valorização da identidade campista.

Fórum Nilo Peçanha - construído para comemorar o centenário da Cidade.
Fórum Nilo Peçanha – construído para comemorar o centenário da Cidade.