Incentive?

Postado em

A partir de comentários atuais dos responsáveis políticos pela propagação da Cultura nos Campos dos Goytacazes, escrevo este texto revoltado.

Durante mais de 3 anos, trabalhei no Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, onde publiquei dois livros. O primeiro, lançado em 2010, “Campos Capital? Os interesses econômicos e políticos distantes do povo”, que vendeu mais de 500 exemplares, não teve incentivo público algum.

Minto!

Após a diagramação e a confecção da capa por minha esposa – Goreti Maia Pluhar –, ganhei o papel e, para impressão, o empréstimo de uma impressora residencial onde o cartucho era recarregável conforme a vontade Pública. Imprimi, dobrei e grampeei a obra.

No caso do segundo livro, “O preconceito estampado”, onde dividi a autoria com José Victor Nogueira Barreto – amigo e, na época estagiário –, fomos agraciados repentinamente, com a publicação minguada de 200 exemplares em uma gráfica local.

Após, em 2012, me convidaram a participar da fundação do Museu Histórico de Campos dos Goytacazes. A responsabilidade resultou na construção do circuito histórico “Campos dos Goytacazes através dos tempos” que norteia a visita guiada na instituição alojada no Solar do Visconde de Araruama.

Posteriormente, por questões burocráticas, me vi obrigado a abandonar as atividades que tanto animam minha vida profissional e, principalmente, pessoal.

Não querendo me afastar da História dos Campos dos Goytacazes, por iniciativa própria – sempre contando com auxílio de Goreti Maia Pluhar -, idealizei o site www.historiasdoscampos.com.br

A partir dessa lida me surpreendi – negativamente.

Primeiramente, ao ouvir o Poder Público mencionar que a falta dos royalties acarretaria no abandono das atividades culturais na Cidade.

Indaguei: Quando incentivaram?

É necessário esclarecer que dois nomes Públicos são, por mim, intensamente valorizados: Avelino Ferreira e Orávio de Campos Soares – lutadores!

Em segundo momento, a opinião intelectualóide reclamou, oferecendo atuação cultural nula.

Assim, esbravejo sobre a falta de incentivo Público e privado às atividades culturais. O site que criei, com mais de 2.500 visualizações em menos de 2 meses, oferece espaço publicitário com incentivo econômico mensal irrisório. A participação foi – é – ofertada em inúmeros estabelecimentos comerciais. A resposta, costumeiramente, versa elogiosa e, financeiramente, negativa.

Não me mantenho de vento. Exerço a função de professor em importante instituição – Colégio Salesiano – que permite a manutenção do trabalho de pesquisador. Todavia, a falta de incentivo é desmotivante.

Desta forma, te convido a participar da manutenção do site www.historiasdoscampos.com.br e, logicamente, divulgar sua marca.

Interessado? Contato: cristianopluhar@hotmail.com

Grato.

Cristiano Pluhar.