Dupla flagrada com espingarda após tentativa de homicídio

Em Goitacazes, PMs encontraram dois acusados de tentativa de homicídio armados

arma-22-03-2013

A Polícia Militar prendeu um homem e deteve um menor que tentaram cometer um assassinato na tarde desta sexta-feira, em Goitacazes, na Baixada Campista.

Policiais do DPO da PM em Goitacazes, Sargentos Laurindo, Marcelo e Neto, e policiais do Serviço Reservado(P/2), SD Vinícus e Sargento Nararrache, prenderam Walace Marciel da Silva, de 22 anos, e detiveram o menor T.S.T., de 17 anos, com uma espingarda calibre 32 com um cartucho deflagrado e um cartucho de calibre 24 intacto.

Segundo a Polícia, a vítima, um homem de iniciais M.A.S.S., de 25 anos, entrou no DPO pedindo ajuda por volta das 15 horas desta sexta-feira. A vítima alegou que  teve desentendimento com o menor e este em seguida retornou acompanhado de Walace e tentaram matá-lo. Os militares realizaram buscas no bairro Linha do Limão e conseguiram capturar os acusados. O caso foi encaminhado a 134ª Delegacia Legal do Centro.

Anúncios

Pagamento dos servidores na próxima semana

Com o pagamento dos servidores municipais ativos e inativos, que terá início na próxima segunda-feira (25) e prosseguirá até quarta-feira (27), a Prefeitura de Campos estará injetando mais de R$ 51 milhões na economia local. Segundo o secretário de Planejamento e Gestão (Seplag), Fábio Ribeiro, o pagamento será antecipado em virtude do feriado prolongado da Semana Santa.Prefeitura de campos rj

No primeiro dia serão pagos R$ 15,4 milhões aos funcionários de matrícula 0, 1 e 2. Na terça-feira (26), recebem os servidores com finais de matrícula 3, 4 e 5, totalizando R$ 20,5 milhões. E no último dia de pagamento, receberão os servidores com finais de matrícula 7,8 e 9, totalizando 15,3 milhões.

O secretário ressaltou que o objetivo do governo municipal é promover políticas públicas que levam à motivação do quadro de funcionários da Prefeitura e, por consequência, uma melhor prestação de serviços prestados aos cidadãos.

Farol de São Thomé: praia dos clamores

Praia com quase 30.000 habitantes. Há 50 km de Campos dos Goytacazes, por que ainda não se emancipou?

Agências bancárias não existem por aqui, hospital também não. Há sim, um heliporto da Petrobras que valoriza muito a segurança de quem lá trabalha, mas, acidentes acontecem.

O que fará a Petrobras se um acidente acontecer em pleno Heliporto São Thomé? Sairá uma ambulância a pular de quebra mola em quebra mola nos 50 km a fora até chegar a um hospital? Ou os acidentados terão o privilégio de chegar de helicóptero em Campos?

Farol de São Thomé, praia do petróleo, de pescadores e afins, praia de gente guerreira que para fazer um curso, tem que contar com a boa vontade de um ônibus que hora passa e horas não passa, enfrentar uma viagem de 50 km e assim chegar ao seu destino.

Farol de São Thomé que na luta de cada dia, não tem uma agencia bancária para guardar o suado dinheiro dos comerciantes que rezando, vão fazer seus depósitos à 50 km de casa pedindo para não serem assaltados.

Dias vão, dias vem e um cartório se você quiser também não tem. O que falta para o Farol? A emancipação talvez. Emancipação significa o ato de tornar livre ou independente. Emancipação é a luta das minorias pelos seus direitos de igualdade ou pelos seus direitos políticos enquanto cidadãos. Mas, Farol não tem nada, não seria essa a intenção? Como emancipar se somos tão dependentes de Campos? Eis o “X” da questão.

Turistas por aqui só há no verão. Aliás, que saudade do verão. Farol de São Thomé é outra praia no verão. Turistas e mais turistas aceleram a economia local. Lazer e diversão não faltam. Que bom que pelo menos temos o verão. Calçadão iluminado, lixeiras por toda a orla, esportes, shows, trios elétricos.

A criançada tem seu próprio espaço, emprego não falta e quem diria, até shopping na praia temos aqui. Gente bonita e animada, como é bom o verão. Por fim, chega o carnaval, não sei se fico triste ou feliz. Quarta-feira de cinzas cura a ressaca e faz “esquecer” o que passou. O carnaval acaba. Farol de São Thomé deixa as boas vindas de lado e se conforma com o que ficou. “Todos” foram embora é uma pena que acabou.

Sabia que há moradores na praia do Farol depois que passa o verão?

Vamos passear, afinal, nós moramos aqui. Cadê a iluminação? Ah! O verão acabou. Cadê as lixeiras? Foram levadas embora. O espaço das crianças para onde foi? Agora tem espaço de sobra, sobrou mais espaço na praia, bastante areia para as nossas crianças brincarem. A criança está doente, não é dia de pediatra no postinho de saúde, mas, se você quiser, a 50 km daqui tem. Será?

O mar, ah! O mar. Que delícia o mar. Os bodyboarders adoram, afinal, acabou o verão, porém, o mar, esse ninguém pode levar.

Agencias bancárias, agencia do correio, cartório, hospital, ônibus na hora certa, turismo o ano inteiro, o Farol de São Thomé pede, o Farol de São Thomé clama. O que seria de Campos dos Goytacazes sem o petróleo que o mar do Farol dá. Royalties é nosso por direito, mas, papai Campos é que tem que cuidar. Não nos dá a emancipação e como “menor” não adianta chorar.

Farol de São Thomé, em 29 de julho, 131 anos, terra do petróleo e do mar.

Para quem mora aqui paciência é uma virtude, esperar é uma opção e lutar é uma obrigação.

 

 

 

Por Fabiana Henriques

 

Claudia Leitte relembra início difícil na Bahia: ‘Ganhava R$ 150 por show’

Cantora sonhava com o dia que em que despontaria para o sucesso: ‘Cantava na janela esperando um empresário que me ouvisse’

Antes de alcançar o topo do sucesso e ser uma diva da música baiana, Claudia Leitte ralou muito e fez muitos shows para ganhar um trocado. “Meu começo foi em 2000. Eu estava saindo de uma banda chamada Nata do Povo. Depois conheci o pessoal do Babado Novo, mas não tinha esse nome. Nós tínhamos um empresário que acreditava na gente, tínhamos as músicas e a vontade de começar. Naquela época, qualquer dinheiro era um dinheirinho bom. Ganhava R$ 150,00 por show e isso era o suficiente para me deixar muito feliz. A música leva a gente para dimensões que a gente nunca pensou ir. As fantasias fazem parte disso”, contou ela no Encontro de hoje.

Muito antes de soltar a voz profissionalmente, a cantora costumava sonhar com o dia em que despontaria para o sucesso: “Eu cantava na copa da cozinha e na beira da janela a espera de um empresário que me ouvisse. Eu conhecia um empresário, o Batatinha, e ficava esperando ele às 18h, que era o horário em que ele passava. Cantava na janela, ele dizia que ia me levar à televisão, mas nunca levou”.

Fonte: http://glo.bo/1055VSH

CBF divulga tabela do Brasileirão 2013 sem clássicos na reta final

Rodadas ainda não estão subdivididas e não têm horários definidos. Pausa para a Copa das Confederações vai de 9 de junho a 7 de julho

brasileirão 2013

A CBF divulgou nesta sexta-feira a tabela básica do Brasileirão 2013. A primeira rodada está marcada para o dia 26 de maio e tem três confrontos entre cariocas e paulistas: o Vasco enfrenta a Portuguesa, o Corinthians recebe o Botafogo, e o Santos duela com o Flamengo. Os locais e os horários dos jogos ainda não foram divulgados.

As duas últimas rodadas, diferentemente das edições de 2011 e 2012, não terão clássicos regionais. A 38ª jornada do Brasileirão será no dia 8 de dezembro.

Haverá intervalo de um mês entre a quinta e a sexta rodada. Entre os dias 9 de junho e 7 de julho, o campeonato ficará paralisado por causa da realização da Copa das Confederações no país.

Confira os jogos da primeira e da última rodada:

Primeira rodada – 26 de maio

Vasco x Portuguesa
Fluminense x Atlético-PR
Corinthians x Botafogo
Vitória x Inter
Grêmio x Náutico
Ponte Preta x São Paulo
Criciúma x Bahia
Cruzeiro x Goiás
Coritiba x Atlético-MG
Santos x Flamengo

Última rodada – 8 de dezembro

Botafogo x Criciúma
Flamengo x Cruzeiro
São Paulo x Coritiba
Bahia x Fluminense
Inter x Ponte Preta
Goiás x Santos
Náutico x Corinthians
Atlético-MG x Vitória
Atlético-PR x Vasco
Portuguesa x Grêmio

Fonte: http://glo.bo/10t7lIS

Palco da final da Copa, Maracanã chega a 92% das obras concluídas

Após receber o gramado, reforma do estádio se concentra no acabamento da cobertura e na instalação das cadeiras

Palco da final da Copa das Confederações desse ano e da Copa do Mundo de 2014, o Maracanã chegou aos 92% de conclusão. A confirmação foi feita pela Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Emop), na manhã desta sexta-feira. Após receber o gramado, reforma do estádio se concentra no acabamento da cobertura e na instalação das cadeiras das arquibancadas. Mais de 30 mil já foram colocadas.

obras cobertura Maracanã Copa 2014 (Foto: Genílson Araújo / Agência O Globo)Cobertura do Maracanã passa dos 50% de conclusão (Foto: Genílson Araújo / Agência O Globo)

A cobertura terá 120 membranas de lona (feita de teflon e fibra de vidro), que ainda serão tensionadas e ocuparação 47 mil metros quadrados. A promessa do projeto é que ela cubra 95% das 78.838 cadeiras. O teto terá 68,4 metros de comprimento, contra 30 metros do antigo antes da reforma.

O governo do Rio garantiu que o estádio estará pronto no dia 27 de abril, quando acontecerá o primeiro evento-teste (uma partida entre ex-atletas, com entrada permitida somente para operários e familiares). O segundo teste será em 8 de maio, também sem venda de entrada. O primeiro jogo aberto ao público será o amistoso entre Brasil e Inglaterra, dia 2 de junho.

Fonte: http://glo.bo/Z7gNk0

Batalhão de Choque da PM entra no antigo Museu do Índio no Rio

PMs usaram spray de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo.
Por volta das 13h, os pertences dos índios foram retirados do antigo museu.

Batalhão de choque entrou na área do museu no final da manhã (Foto: Reprodução/TVGlobo)Batalhão de Choque entrau na área do museu no final da manhã (Foto: Reprodução/TVGlobo)
Integrante do Femen é detida pela PM por protestar com os seios de fora em ato contra desocupação do antigo Museu do Índio (Foto: CHRISTOPHE SIMON/ AFP PHOTO)
Integrante do Femen é detida pela PM
(Foto: Christophe Simon/ AFP Photo)
Manifestante é ferido do bala de borracha durante desocupação do Museu do Índio. (Foto: Reprodução / TV Globo)
Manifestante passa mal ( Reprodução / TV Globo)
Fotógrafo do jornal O Globo, Pablo Jacob foi ferido por uma bomba de gás lacrimogêneo durante desocupação do Museu do Índio. (Foto: Isabela Marinho / G1)
Fotógrafo Pablo Jacob foi ferido por uma bomba de
gás lacrimogêneo (Foto: Isabela Marinho / G1)
Mapa Rio de Janeiro - Museu do Índio no Maracanã atualizado. (Foto: Editoria de Arte / G1)

Policiais do Batalhão de Choque entraram no antigo Museu do Índio, no Maracanã, na Zona Norte do Rio, e os indígenas começaram a desocupar o prédio por volta das 11h45 desta sexta-feira (22). O clima ficou tenso, houve confronto, e os PMs utilizaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo. Os policiais dispararam tiros de bala de borracha. Manifestantes revoltados, muitos com os rostos pintados, ocuparam as vias no entorno e bloquearam a Radial Oeste nos dois sentidos. Um dos manifestantes passou mal e foi socorrido pelo Samu.

Após a retomada do museu, PMs do 4º BPM (São Cristóvão) vão patrulhar o local até o começo das obras do Museu Olímpico.

A invasão aconteceu após término da negociação, que começou às 3h com a chegada do Choque. Pouco antes das 11h, a PM começou a desfazer o cerco, dando indício de que havia um acordo, mas o clima de tranquilidade durou pouco: às 11h30, um grupo ateou fogo em uma oca erguida no terreno e começou a fazer uma dança. Bombeiros foram acionados para apagar as chamas.

Pouco depois, o Choque se posicionou e invadiu o local. Segundo o coronel Frederico Caldas, a decisão de entrar no antigo museu ocorreu por causa do incêndio na oca. “A Polícia Militar agiu na legalidade para uma saída negociada até que eles resolveram por fogo, que já estava se alastrando pelas árvores”, afirmou o oficial. Segundo o coronel, na operação havia 200 policiais do Bope. Ainda de acordo com Caldas, não foram índios que atearam fogo na oca, mas militantes.

Por volta das 12h20, as ruas ao redor do antigo Museu do Índio pareciam uma praça de guerra. Manifestantes com pedras, paus e faixas tentavam fechar algumas das vias.

A todo momento era possível ouvir disparos feitos por policiais do Batalhão de Choque. Manifestantes foram detidos.

A ação foi acompanhada pelo deputado Marcelo Freixo, que criticou a atuação da PM. “De repente você tem tiro para cima, spray de pimenta nos parlamentares, no promotor, no defensor público. Não é possível dizer que é necessário. Mesmo que alguns resistissem era possível que eles fossem retirados sem violência”, declarou Freixo. “Nós vamos agir contra esse procedimento da polícia”, afirmou.

O defensor público federal Daniel Macedo, que representa os índios, criticou a entrada da PM no antigo museu. Para Macedo, os policiais do Batalhão de Choque agiram de maneira truculenta. “Foi uma arbitrariedade. Não precisava disso, eles [os índios] já estavam prestes a sair. Apenas um pequeno grupo permanecia no prédio. Eles me pediram 10 minutos para fazer uma dança de despedida, quando os PMs entraram. Vou analisar imagens e talvez entre com uma representação pedindo a responsabilidade da polícia.”

O major da PM Ivan Blaz afirmou que se houve truculência durante a desocupação do antigo Museu do Índio, será averiguado. “Ainda estamos em ação. Tudo vai ser verificado e apurado no seu momento. Por enquanto ainda estamos em operação. Peço a compreensão de todos para que a gente possa liberar a via para que milhões de pessoas possam voltar às suas rotinas”, declarou.

Detidos e feridos
Entre os manifestantes havia estudantes, integrantes de grupos sociais e até ativistas do Femen. Uma delas, de seios de fora, foi detida pouco antes da invasão. Revoltada, ela gritava “assassinos”.

Índios colocam fogo em oca que fica no terreno do antigo Museu do Índio. (Foto: Reprodução / TV Globo)Índios colocaram fogo em oca que fica no terreno do antigo Museu do Índio. (Foto: Reprodução / TV Globo)

Mais cedo, o advogado Arão da Providência, que diz ser irmão de um dos índios que vivem no prédio, pulou o muro para falar com os indígenas. Ele foi repreendido por policiais militares do Batalhão de Choque, contido com uso de força e levado para o camburão. A manifestante Mônica Bello também foi detida após discutir com os PMs.

O fotógrafo do jornal “O Globo” Pablo Jacob foi atingido na perna por granada de efeito moral.

Entenda o caso
A polêmica sobre o destino do espaço começou em outubro de 2012, quando o governo do estado anunciou mudanças no entorno do Maracanã, para que o estádio pudesse receber a Copa das Confederações, em 2013, a Copa do Mundo, em 2014, e a Olimpíada, em 2016.

Pelo projeto da Casa Civil, o Maracanã seria transferido para a iniciativa privada, que deveria construir um estacionamento, um centro comercial e áreas para saída do público. Para isso, alguns prédios ao redor do estádio deveriam ser demolidos, entre eles o casarão do antigo Museu do Índio, que funcionou no local de 1910 até 1978.

O edifício com área de cerca de 1.600 m² está desativado há 34 anos. O grupo de indígenas que ocupa o prédio – e deu ao museu o nome de Aldeia Maracanã – está no local desde 2006.

Esse ano, no entanto, a 8ª Vara Federal Cível do Rio de Janeiro concedeu imissão de posse em favor do governo estadual. Os índios foram notificados em 15 de março.

Os pertences dos índios que ocupavam o antigo museu, no Maracanã, foram retirados por volta de 13h10. (Foto: Alba Valéria Mendonça / G1)Os pertences dos índios que ocupavam o antigo museu, no Maracanã, foram retirados por volta de 13h10. (Foto: Alba Valéria Mendonça / G1)

Dia Mundial da Água é marcado por conscientização

A Secretaria de Meio Ambiente marca esta sexta-feira (22) com muita conscientização sobre a maior fonte de vida do planeta: a água. As ações acontecem em prol do Dia Mundial da Água,  instituído Organização da Nações Unidas (ONU), em 22 de março de 1992. Fazem parte da programação palestras, conscientização, limpeza na margem do Rio Paraíba do Sul e visita à Estação de Tratamento de Água (ETA) da Coroa. As ações aconteceram na comunidade da Coroa, embaixo da Ponte Alair Ferreira.

Com foco nos alertas em relação à água, a programação iniciou no galpão do Iate Clube dos Pescadores com palestras do comandante da Guarda Ambiental, Marcio Barbosa Filho, falando sobre o tema “Degradação dos Corpos Hídricos”. O coordenador de Planejamento Ambiental da secretaria de Meio Ambiente, Carlos Ronald Arêas, também ministrou palestra sobre o tema “Mata Ciliar”. As ações seguem com limpeza da margem do Rio Paraíba do Sul e visita à Estação de Tratamento de Água da concessionária Águas do Paraíba.

Wilson Cabral, secretário de Meio Ambiente, alerta para os números quanto à água potável no mundo. “A água é uma fonte esgotável de recurso. O planeta é composto por 70% de água e, sem ela, não há vida. O que alertamos é que destes 70% de água, 97% são água salgada, sendo 3% das calotas polares e 0,008% água própria para o consumo. Então, o mínimo que podemos fazer é usar racionalmente o recurso e ter consciência que devemos proteger o pouco que temos. Esta ação de limpeza do Rio Paraíba do Sul é uma forma de alertar para este cuidado, já que ele é fonte de abastecimento de três grandes estados”, pontua.

O presidente da Associação de Pescadores Artesanais da Coroa do Grande Paraíba do Sul, Elenilson do Espírito Santo, parceiro na ação, explica a importância dos trabalhos. “A água é a própria vida. É o único meio que temos de sobreviver. Não só a comunidade pesqueira, mas todos os munícipes. Viemos aqui para chamar a atenção da população para o cuidado com este bem e também para pedir o monitoramento da qualidade da água que consumimos”, pontua. O Guarda Mirim, Marlon Nascimento, de 15 anos, também participou das ações. “Vamos preservar e evitar a poluição. Pelo nosso futuro”, concluiu.

Parceiros como Fundação Municipal da Infância e Juventude (FMIJ),  Secretaria de Serviços Públicos, Associação de Pescadores da Coroa e a concessionária Água do Paraíba, participam durante todo o dia das ações.

Várias ações marcam Dia de Luta contra a Tuberculose

O Programa Municipal de Controle da Tuberculose está realizando nesta sexta-feira (22), durante todo o dia, uma mobilização nos hospitais Beneficência Portuguesa, Santa Casa de Misericórdia de Campos, Álvaro Alvim e Plantadores de Cana, além dos Postos de Urgência da Saldanha Marinho e de Guarus. Estão sendo distribuídos kits com folhetos informativos sobre a doença, cartazes para divulgação do programa e potes para a coleta de material para o exame de baciloscopia, popularmente chamado de teste do escarro. As ações marcam o Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose – 24 de março.

São mais de 200 casos de tuberculose registrados no Programa atualmente. A campanha alerta para o diagnóstico precoce tanto para os pacientes, quanto para os médicos, que devem estar atentos para os sintomas respiratórios (principalmente tosse persistente por mais de três semanas).  Os sintomas também consistem em febre ao final do dia, suores noturnos, falta de apetite (emagrecimento), cansaço fácil e escarro sanguíneo. O tratamento geralmente é feito através de medicação, sendo o paciente submetido a exames quinzenais, na própria sede do programa. O paciente é orientado a utilizar máscaras de proteção.

Após o diagnóstico precoce, o paciente é encaminhado ao Programa de Controle da Tuberculose, para que seja feito o teste do escarro, que em 40 minutos já pode oferecer resultado. O paciente passa por médicos, assistentes sociais, enfermeira, e ainda é feito um raio-x de seu pulmão. Caso não seja detectada a tuberculose, ele é encaminhado para outra unidade hospitalar. Os casos de morte acontecem quando o paciente já tem outras doenças paralelas, como ser portador do vírus HIV. O abandono do tratamento também pode resultar em morte.

O tratamento é feito no Centro de Referência Augusto Guimarães, sede do Programa de Controle da Tuberculose, ao lado do Hospital Geral de Guarus (HGG). O tratamento, que é gratuito, dura em média, seis meses.

Segundo a coordenadora do programa, a pneumologista Simone Fagundes, o acompanhamento do portador de tuberculose é feito até que ele fique curado da doença. “As ações estão sendo desenvolvidas antes do próprio Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose, justamente porque gostaríamos de alcançar um número ainda maior de pessoas, para esta que é uma doença antiga, mas que ainda não está só no passado”, ressalta.

Hospital Álvaro Alvim ganha novos serviços

O Hospital Escola Álvaro Alvim ganhou novos serviços, que marcaram a primeira etapa da ampliação da instituição hospitalar. A prefeita Rosinha Garotinho; o vice-prefeito Doutor Chicão; o secretário de Saúde, Geraldo Venâncio; o presidente da Fundação Benedito Pereira Nunes, Almir Jesus Nascimento; o presidente da Câmara de Vereadores, Edson Batista; e o diretor da Faculdade de Medicina de Campos, Nélio Artiles, além do diretor do Hospital Escola Álvaro Alvim, Jair Araújo, inauguram, nesta sexta-feira (22) os novos serviços. O HEAA agora conta com uma UTI Cirúrgica, um elevador para macas, uma unidade geradora de energia e um Serviço de Verificação de Óbitos (SVO).alvaro alvin

O diretor do HEAA contou que o hospital agora conta com duas Unidades de Terapia Intensiva: “Tínhamos a UTI Geral e hoje inauguramos a UTI Cirúrgica, com sete leitos para pacientes de pós-operatórios em cirurgias cardíacas, oncológicas, neurológicas e bariátricas, entre outras. Agora, disponibilizamos 16 leitos de UTI para a população”. Dr. Jair também explicou a importância de um novo elevador para macas.

– É uma questão de segurança para os pacientes. O único elevador de macas que tínhamos tem mais ou menos 30 anos de uso e, se der um problema, o conserto é demorado. O novo elevador está instalado numa coluna externa, de acesso também à parte que está em construção  – contou, acrescentando que o hospital também adquiriu dois gerados, que reduzirão significativamente os gastos da instituição com energia elétrica.

O diretor também apresentou o Serviço de Verificação de Óbitos, o único do Estado do Rio de Janeiro, que contará com recursos federais, estaduais e municipais, um serviço de gestão tripartite. O Governo Federal investe R$ 30 mil por mês; o Estado R$ 50 mil e o município R$ 70 mil. O SVO é referência regional e atenderá a 29 municípios do Norte e Noroeste Fluminense.  “Atualmente, 25% dos óbitos não têm a causa da morte definida e as certidões de óbito atestam morte por causa indeterminada”.

– O objetivo do SVO é justamente elucidar a causa dessas mortes, que não devem ser encaminhadas para o IML por não serem  mortes de natureza violenta.  O serviço começa a funcionar em abril e atenderá todos os dias, 24 horas. A estrutura do SVO conta com um espaço especial para o acolhimento às famílias, um Serviço Social e uma capela, a fim de oferecer um atendimento mais humano e digno às pessoas que perderam um ente querido -, falou o diretor do Álvaro Avim.

A prefeita Rosinha Garotinho também destacou a importância dos serviços inaugurados. “Toda inauguração é um progresso, um passo adiante na gestão pública, e a Saúde de Campos vem se tornando referência em diversas áreas, como na imunização, com o Programa de Infertilidade, nas cirurgias bariátricas. Somos o município com o maior número de leitos hospitalares, ficando atrás somente de Campinas, conforme dados do Data SUS. Em termos leito, só perdemos em leitos pediátricos, que seriam desnecessário justamente pela imunização, que reduziu em cerca de 70% a internação de crianças”.

Rosinha falou de outros serviços que se destacam na Saúde. “ Nossa Farmácia Básica disponibiliza mais de 300 medicamentos, quando o obrigatório seria 137 itens. Estamos construindo o Hospital da Baixada, aumentando o número de leitos também no HGG, Ferreira Machado, Santa Casa e dos royalties empregamos recursos para serviços de média e alta complexidade. Dr. Jair está de parabéns pela gestão do Álvaro Alvim e, mesmo com todos os problemas com a questão dos royalties, todos podem ter certeza que este governo nunca mediu e não medirá esforços para melhorar cada vez mais a Saúde em Campos”,