Várias ações marcam Dia de Luta contra a Tuberculose

Postado em

O Programa Municipal de Controle da Tuberculose está realizando nesta sexta-feira (22), durante todo o dia, uma mobilização nos hospitais Beneficência Portuguesa, Santa Casa de Misericórdia de Campos, Álvaro Alvim e Plantadores de Cana, além dos Postos de Urgência da Saldanha Marinho e de Guarus. Estão sendo distribuídos kits com folhetos informativos sobre a doença, cartazes para divulgação do programa e potes para a coleta de material para o exame de baciloscopia, popularmente chamado de teste do escarro. As ações marcam o Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose – 24 de março.

São mais de 200 casos de tuberculose registrados no Programa atualmente. A campanha alerta para o diagnóstico precoce tanto para os pacientes, quanto para os médicos, que devem estar atentos para os sintomas respiratórios (principalmente tosse persistente por mais de três semanas).  Os sintomas também consistem em febre ao final do dia, suores noturnos, falta de apetite (emagrecimento), cansaço fácil e escarro sanguíneo. O tratamento geralmente é feito através de medicação, sendo o paciente submetido a exames quinzenais, na própria sede do programa. O paciente é orientado a utilizar máscaras de proteção.

Após o diagnóstico precoce, o paciente é encaminhado ao Programa de Controle da Tuberculose, para que seja feito o teste do escarro, que em 40 minutos já pode oferecer resultado. O paciente passa por médicos, assistentes sociais, enfermeira, e ainda é feito um raio-x de seu pulmão. Caso não seja detectada a tuberculose, ele é encaminhado para outra unidade hospitalar. Os casos de morte acontecem quando o paciente já tem outras doenças paralelas, como ser portador do vírus HIV. O abandono do tratamento também pode resultar em morte.

O tratamento é feito no Centro de Referência Augusto Guimarães, sede do Programa de Controle da Tuberculose, ao lado do Hospital Geral de Guarus (HGG). O tratamento, que é gratuito, dura em média, seis meses.

Segundo a coordenadora do programa, a pneumologista Simone Fagundes, o acompanhamento do portador de tuberculose é feito até que ele fique curado da doença. “As ações estão sendo desenvolvidas antes do próprio Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose, justamente porque gostaríamos de alcançar um número ainda maior de pessoas, para esta que é uma doença antiga, mas que ainda não está só no passado”, ressalta.